Lá em casa, sabe “puxar a brasa à sua sardinha”?

Em época de Santos Populares, a tradicional sardinha assada não pode faltar na mesa dos portugueses. Quentes e a pingar no pão, são um dos ex libris da gastronomia nacional mas confeccioná-las nem para todos é fácil.

Reunimos algumas dicas para que faça um brilharete lá em casa.

1 – Frescas ou congeladas: eis a questão!
Na hora de escolher, opte pelas frescas e, de preferência, não muito grandes. De escama firme, guelra avermelhada, pele lisa e olhos límpidos, devem apresentar rigidez quando as dobramos;

2- Sal: muito, pouco ou nada?
Sendo que gostos são gostos, em regra, bastará um pouco de sal na guelra para temperar as sardinhas cerca de 20 minutos antes de ir para a grelha;- A sardinha deve ser salgada uns 20 minutos antes de ir às brasas. Regra geral basta um pouco de sal grosso diretamente na guelra;

3- A qualidade está (também) no carvão!
Para assegurar umas boas brasas, a qualidade do carvão é fundamental para não queimar as sardinhas e delas obter os óleos gordos, benéficos para a saúde. Deixe queimar 30 minutos e, com a grelha bem quente, queimada durante alguns minutos antes, pode começar a grelhar sem que as sardinhas peguem;

4- Nem tempo a mais, nem tempo a menos…

As sardinhas não precisam de muito tempo para ficarem “no ponto”. O tamanho e a distância a que estão das brasas podem fazer variar o tempo mas, em média, bastarão 5  minutos para cada face assar.

A melhor parte é, sem dúvida, uma mesa repleta de familiares e amigos mas pode, claro, juntar uns belos pimentos também assados, alface, tomate, pepino, broa e um bom vinho. Não ficam nada mal e vai, com certeza, desfrutar de uma excelente refeição em casa.

Outras notícias